Estatisticas
Membros : 81
Conteúdo : 113
Links da Web : 73
Visualizações de Conteúdo : 70508
Início Radioterapia Bases Sobre radioterapia

PostHeaderIcon Sobre radioterapia

Tendo já decorrido mais de 100 anos desde a descoberta da radioactividade, e mais de meio século desde o início da sua aplicação clínica sistematizada, a radioterapia (RT) é ainda uma especialidade insuficientemente divulgada em Portugal, e por vezes ignorada, não obstante ser um dos pilares fundamentais no manuseamento do Cancro.

Por definição, radioterapia é o uso controlado de radiações ionizantes para fins terapêuticos, principalmente de neoplasias malignas. As radiações dizem-se ionizantes por levarem à formação de iões nos meios sobre os quais incidem, induzindo modificações mais ou menos importantes nas moléculas nativas [wikidefinição]

 

Apesar de a administração transcutânea - RT externa - ser a que é vulgarmente identificada com esta especialidade, existem outras formas de administrar radiações ionizantes:

  • RT Intracavitária e Endoluminal: as fontes radioactivas são colocadas em de cavidades naturais no organismo (útero, esófago);
  • RT Intersticial: as fontes radioactivas são introduzidas de forma cruenta nos tecidos (lingua, lábio, pele);
  • Plesioterapia: as fontes radioactivas são simplesmente colocadas sobre as lesões (lesões superficiais da pele ou mucosas).

 

Mesmo a RT externa sofreu modificações dramáticas desde os Raios X de baixas energias (até 400kVp), passando pela radiação gama do Cobalto-60 , até aos raios X de energias entre 4 e 25MV produzidos pelos modernos aceleradores lineares . Estes feixes de radiação electromagnética e o uso de feixes de electrões permitem administrar doses terapêuticas em volumes muito precisos.

Para saber mais sobre os princípios físicos da produção de radiações ionizantes clique AQUÍ