Estatisticas
Membros : 81
Conteúdo : 113
Links da Web : 73
Visualizações de Conteúdo : 70671
Início Radioterapia Radiobiologia Radiobiologia dos tecidos

PostHeaderIcon Radiobiologia dos tecidos

Índice do Artigo
Radiobiologia dos tecidos
Page 2
Page 3
Page 4
Page 5
Todas Páginas

Tal como a nivel celular existem alvos preferenciais para a acção das radiações, também a nível tissular existem células ou grupos de células mais sensíveis ou de cuja morte dependem as alterações observadas no organismo após irradiação.

A deplecção de células alvo leva às lesões observáveis nos órgãos ou tecidos, após irradiação.

Os diferentes órgãos ou tecidos do organisvo vivo são compostos por diversos tipos celulares.

 

A resposta de um órgão ou tecido à radiação depende de:
  • Sensibilidade intrinseca das diferentes populações celulares nesse órgão ou tecido
  • Cinética celular (turnover) de cada população (dividem-se, com que frequência)

'Radiossensibilidade' celular

  • 1920's: Bergonié e Tribondeau
  • A morte celular após radiação é selectiva
  • A divisão celular é um processo crítico para esta selecção
  • Todas as células sofrem o mesmo número de lesões quando um tecido é irradiado
A radiação ionizante é mais efectiva sobre células
  • em divisão activa
  • indiferenciadas
  • com futuro em termos de divisão celular

Estas características não definem a susceptibilidade das células mas determinam uma redução no tempo necessário para evidenciar as lesões provocadas pela radiação.

As células com estas características não só se dividem mais depressa, factor necessário para expressar morte devida à radiação, como devido a essa cinética mais acelerada, dispôem de menos tempo para reparar os danos subletais ou potencialmente letais.

A células diferenciadas (funcionais) não se dividem mas podem morrer após iradiação

As células que se dividem mais depressa aparentam maior sensibilidade

Esta aparência pode ser ilusória !